Traduza os textos do blog para seu idioma. Translate the blogposts to your language.
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Novos locais p/ compra de postais (1 - JP)

30 de ago de 2010

É, eu sei. Já já esse blog vira um anexo brasileiro do Postcrossing... Mas veja só: saber onde comprar postais é sempre bom. Como eu já disse, é um mimo turístico muito bom tanto para mandar pra família/amigos quanto para guardar para si. E, no caso de quem vai receber, eu já mencionei o quanto é gostoso abrir a caixinha e ver correspondências de verdade ao lado das contas? Isso é bom demais!

Estava turistando com meu primo de São Paulo na quarta-feira e a ida ao Centro Histórico é parada obrigatória. Na Igreja de S. Francisco há uma lojinha. No Hotel Globo, é possível pegar encartes com mapas e outras coisas. Sempre há a banca Viña del Mar. Depois seguimos para a Feirinha, para contratar um passeio pelo Litoral Sul e fomos ao Centro Turístico ver se conseguíamos alguma informação. Não tivemos tanta sorte com bugueiros, mas eu tive com postais.

Vamos aos endereços, né?

Igreja de S. Francisco: Lá há uma lojinha, com postais da própria igreja. São um pouco maiores que o tradicional formato 15 x 10 cm e tem umas fotos que não tinha visto antes. Bom, é a mesma igreja, claro, mas de ângulos diferentes. Custam cerca de R$ 2 (os mais caros em JP, hein?) Não tive como ter certeza de muita coisa, porque o responsável pela lojinha simplesmente sumiu. Mas sei que é o mesmo responsável pela entrada da igreja. Então, se você não estiver a fim de fazer turismo, só quiser os postais, ali na entrada mesmo é possível pedir para ir direto à loja.  Clique para ver no Google Maps.

Hotel Globo: A dica foi de Iara, diz ela que aqui é possível encontrar cartões postais gratuitos, mas não vi nenhum e não havia uma pessoa responsável na entrada. Achamos mapas pictóricos e encartes da Paraíba e levamos algum. Sempre tem alguém que se interessa por mapas... =) Clique para ver no Google Maps.


Exibir mapa ampliado


Mimos Papelaria: No Centro Turístico de Tambaú, uma das lojinhas do corredor direito. Tem uma variedade muito boa, alguns postais que só tinha encontrado na UFPB e um do Cabo Branco ao anoitecer que é lindo! R$ 0,80, difícil encontrar tão barato na praia. Clique para ver no Google Maps.

Belíssimo postal do Cabo Branco. Acho que vale a pena ir até Tambaú comprá-lo. (Como se fosse longe...)

UPDATE 
Papelmix: Local recém-descoberto com uns postais mais diferentes, alguns antigos, que fica no Retão de Manaíra. Tem um fantástico mostrando a floração de ipês amarelos contra o céu azul! (Quando digitalizar, atualizo o post e coloco a imagem aqui). Cada postal custa R$ 0,50, exceto os de papel madeira (R$ 0,70). Ou seja, este é o local com postais mais baratos. Não só na praia, mas na cidade até agora. O melhor de tudo? Tem uma agência dos Correios logo ao lado! Clique para ver no Google Maps.


Share/Bookmark

Trocando Postais

12 de ago de 2010



Que o Postcrossing é um vício, eu já falei. Já expliquei, também como funciona. E já viciei mais algumas pessoas. Já que eu fiz isso, vou, então falar algo sobre a troca: por que envio e recebo tanto postal da Finlândia?!

Bem simples. Para manter a coisa justa, o Postcrossing (criado por um português, by the way) coloca os países mais ativos para mandar para os menos ativos. Ou seja: Tem muita gente ativa na Finlândia e nem tanta gente ativa assim no Brasil. Sendo assim, não seria lá muito equilibrado se a gente aqui começasse a mandar postais para o Afeganistão, com apenas 10 usuários e 18 postais enviados. Eu sozinha, com minhas duas contas, sou mais ativa que o país. A galera da Finlândia (muito legal, inclusive), ia ficar chupando o dedo, né?

Mas eu não marquei a opção de repetir os países! So sorry. Aproveita pra fazer amizade com os finlandeses. Os holandeses também são muito ativos e possuem diversos postais bonitos. O que mais você pode fazer? Bom, criar posts no seu blog falando sobre o Postcrossing é uma idéia. Convidar amigos pessoalmente é outra. Mostrar sua linda caixa de postais pras visitas ou deixá-las ver como você fica feliz quando recebe coisinhas do correio também é válido. Quanto mais gente mandando postais, mais ativo é um país e para mais países "estranhos" teremos contato.

Tá, o site é pago? Nope! Ó que lindo: vc só tem que pagar pelo postal e pelo envio. E deixa eu dizer: só pago R$1,25 pra mandar um postal pra China.

E como o site sabe que meu postal chegou? Bem simples: na hora que você pede um endereço, o site te passa junto uma ID. Você deve escrevê-la em algum canto do postal. A recomendação é que não seja escrito embaixo do endereço nem na área das estampas. Escreva, também, mais de uma vez por postal. Eu coloco duas vezes, em cores diferentes do texto e a orientação do texto varia...

Ok, gostei! Então se registra aí, txio/txia! =D http://www.postcrossing.com/signup
Minha galeria de recebidos no usuário fve1986


Dicas de onde comprar postais em João Pessoa:
Tem gente que tem dúvidas sobre onde encontrar postais em JP, então segue uma pequena lista de lugares:

UFPB: No Centro de Vivência, perto do Banco do Brasil, tem uma papelaria que vende de tudo, inclusive cartões postais. Tem postal que só encontrei lá e o preço é o melhor que encontrei: R$ 0,70.

Banca Viña Del Mar: Qualquer banca dessa rede possui postais, dos mais variados, só que eles não deixam à mostra, não sei por quê. Os preços variam, o mais barato custa R$ 1,00. Tem uns lindos e outros muito, muito toscos e desfocados. Tem uma Viña del Mar na Feirinha de Tambaú, outra no Mag Shopping, outra no Habib's e uma no Centro.

Feirinha de Tambaú: Perto da praça de alimentação que parece uma rodoviária há uma banca de revistas cujo nome eu não me lembro. Lá também vende cartões postais, o mais barato, se não me engano, custa R$ 1,20.


Bessa Shopping: Há uma papelaria, ao lado do Banco do Brasil, que vende cartões postais, a R$ 1,00 cada. Também funciona como agência dos Correios. Lá eu compro, lá eu mando. Já tô ficando amiguinha do pessoal da loja.

Lagoa: Dizem as más (ou seria boas?) línguas que algumas barracas no Parque Solon de Lucena vendem postais. Eu ainda não tive a chance de descobrir.

Aeroporto: Há uma loja no Aeroporto Castro Pinto (olha o nome do aeroporto de João Pessoa... ¬¬) que também vende postais, mas como são os mesmos da Viña del Mar, não me preocupei em olhar preço. Ainda assim, se você estiver saindo da cidade e tiver esquecido de comprar alguns, eis sua chance!

Mag Shopping: Aqui não é exatamente compra. Nos locais de pagar estacionamento, normalmente há postais do shopping. É propaganda, mas as fotos costumam ser bonitas.


Sabe de algum outro local para comprar cartões postais? Não seja egoísta, informe nos comentários! =D Não precisa ser, especificamente, em João Pessoa. Fale da sua cidade, é sempre bom saber aonde podemos comprar essa singela lembrancinha quando estamos viajando.

Seja criativo, faça seus próprios postais. É possível revelar fotos e, no verso, colar papel adesivo para escrever o endereço e a mensagem. Muitos dos melhores postais são feitos dessa forma e, como ainda não vi um postal que não seja turístico em João Pessoa, é um jeito de você variar, também.

Dúvidas que já ouvi:
Onde escrevo o endereço do destinatário?
Preferencialmente à direita. A àrea da esquerda serve para você escrever sua mensagem e a ID do postal.


E o meu endereço, onde vai?
Não vai. Não precisa. Se você realmente quiser, pode fazer um adesivo com seu endereço, bem pequenininho e colar no cantinho inferior esquerdo do postal. Deixe claro que isso é o endereço do remetente, ou você pode acabar com um cartão retornado.

Para evitar dúvidas, segue um exemplo. Esse é o verso que uso quando mando um postal caseiro.


Verso do postal
No topo, do lado esquerdo, coloco a identificação do postal. No caso, foi a foto que tirei do MAC (Museu de Arte Contemporânea). No lado direito, marquei uma área para o selo, logo abaixo para o endereço e, por último, áreas de identificação com a ID, o nome de usuário e a data em formato internacional (ano - mês - dia). Nunca tive problemas com a identificação aí, mas mudarei isso em futuros postais, já que pode ser confuso.
Frente do postal
Qualquer dúvida, dica, informação, seja bem vindo. Os comentários estão mais do que abertos!

Minha conta principal (galeria):  http://www.postcrossing.com/user/fve86/gallery
Minha conta secundária (galeria): http://www.postcrossing.com/user/fve1986/gallery


Share/Bookmark

Belo Horizonte (Parte 2)

8 de ago de 2010

Saindo da Praça da Liberdade é só descer a Av. João Pinheiro até a Av. Álvares Cabral (sim, eu fiz isso) e de lá mais um quarteirãozinho até chegar no Parque Municipal, na Av. Afonso Pena. (Para quem não entendeu nada, a rota está aqui). Dá aproximadamente 1 Km de caminhada, nada medonho para quem está passeando.

O Parque Municipal também é um lugar muito bonito. Teve sua idade das trevas há um tempo atrás, mas agora está bem melhor. Quando fui, estava muito belo e bem policiado também. Trata-se de uma grande área verde, inspirado nos parques franceses, com lago, coreto e uma vasta arborização. Também está no meu Top de lugares preferidos de BH. A própria Av. Afonso Pena também vale um passeio, é um dos eixos viários mais importantes da cidade. Nela, próximo ao parque, encontram-se o Palácio das Artes e o Conservatório de Música, que são edifícios muito interessantes.

Fora estes lugares que eu mencionei, vale lembrar da Pampula (que terá um post só para ela) e as diversas praças pela cidade. Eu gosto muito de parques, praças e espaços do tipo, por isto estão reinando aqui como os lugares em que visitei. A Praça do Papa, Praça Raul Soares, Praça JK, Parque das Mangabeiras, a Torre AltaVila e o Mercado Central são lugares que eu também já conheci e aconselho visitarem se tiverem tempo.

As praças citadas são lugares amplos e belos, cada uma com sua peculiaridade.

* na foto: Praça do Papa

No Mercado Central encontram-se os mais variados exemplos da culinária mineira (incluindo os queijos e doces), artesanato e diversas outras coisas como frutas, flores, animais, etc. Vale lembrar que o turismo, neste caso, está mais nos produtos que no lugar em si. Então estejam alertados que é um mercado, não um shopping.

*foto extraída do site Uol Viagem

A Torre AltaVila também é um espaço interessante. Fica na zona sul, na saída para Nova Lima. Possui o Hard Rock Café na base, um lugar muito bom, em geral com boa música e a decoração é muito interessante. Claro, segue um certo padrão dos Hard Rock Café, para quem já conhece. Há também um restaurante no topo da torre (que no ano passado era japonês, este ano não sei se continua o mesmo ou se mudou) onde você pode jantar observando uma bela vista de toda a cidade, ou ao menos até onde sua visão alcançar.


p.s.: Para quem se interessar em passear virtualmente ou entender melhor a localização dos lugares que eu citei, fiz um conjunto de marcadores para o Google Earth. Divirtam-se. (Download aqui)


Share/Bookmark

Belo Horizonte (Parte 1)

1 de ago de 2010

Olá pessoas! Aqui estou eu "invadindo" o blog da Fernanda para mostrar algumas coisinhas da minha viagem. Sou mineira, habitante da adorável João Pessoa há 12 anos. Sempre vou à Belo Horizonte visitar meu povo em média uma vez por ano (às vezes não chega a completar um ano inteiro entre as viagens) mas nunca parei para escrever sobre a cidade. Achei a idéia interessante então.

Belo Horizonte (carinhosamente chamada de BH) sempre foi uma cidade que me agrada muito. Não é só porque sou de lá e saí, e por isso fico supervalorizando o lugar (mas é fato que toda vez que piso no aeroporto e já ouço alguém falando com aquele sotaque eu tenho uma forte e agradável sensação de estar de volta em casa). Mas também porque a cidade sempre me deu motivos para adorá-la. Quem vai traz boas lembranças e acaba concordando comigo. Possui todos os problemas de uma grande cidade brasileira, é claro. Vocês reclamam do transito de João Pessoa e o quanto fica "cheio" nos horários de pico, ou acham longe sair do Bessa e ir para o Centro? Vocês não viram nada... (um dia desses estávamos em um engarrafamento, quando olhei para o lado vi que a motorista do carro que estava em paralelo conosco estava lendo! Para vocês verem como em determinadas horas o trânsito flui!). Fora isso a cidade tem me agradado bastante, principalmente das últimas vezes que visitei. Muito bem arborizada, praças bem cuidadas e serviços (como restaurantes, bares e cafés) de muito boa qualidade.

Dentre os lugares um pouco mais turísticos a Savassi é um dos meus preferidos, região de bares, cafés, lojas e boates (yeah man! All in one!). Originalmente nome dado pelo povo à Praça Diogo Vasconcelos (cruzamento entre as Avenidas Cristóvão Colombo e Getúlio Vargas). Hoje, chama-se Savassi toda a região próxima a esta praça. Quem estiver por BH, vale à pena uma manhã ou tarde pelas redondezas, o ponto forte durante o dia é o comércio, com lojas boas e bem diversificadas, depois sentar-se ao Café da Travessa (ou em qualquer outro dos vários cafés e lanchonetes) e conversar com amigos ou ler um bom livro.

O Café da Travessa é um ambiente muito agradável, que eu tive o prazer de conhecer meio que por acaso. Trata-se de uma livraria com um café/bar ao fundo. As mesas postas pela calçada, já próximas da praça e com uma leve vegetação por perto, dão um ar agradável ao ambiente. Não cheguei a provar nada de especial do cardápio, mas não duvido da qualidade da comida e bebidas. Aos interessados, o site do café mostra mais fotos, horários de funcionamento, cardápio, endereço e contato: http://www.cafedatravessa.com.br/livraria

* fotos extraídas do site Café da Travessa Livraria

Estando pela região da Savassi, vale à pena uma visita à Praça da Liberdade e admirar seu complexo paisagístico e arquitetônico, também é um dos lugares que eu gosto muito. Estando na cidade, sempre procuro ir, ao menos uma vez, dar uma voltinha pela praça. Ela foi feita para abrigar a sede do poder mineiro, por isso possui em seu entorno diversos edifícios importantes. Hoje, as funções administrativas foram transferidas para outro centro, a praça e seu entorno estão sendo transformados em espaços culturais (como museus) e, junto à alguns equipamentos já existentes (como a Biblioteca Pública, o Museu Mineiro e o Palácio da Liberdade, entre outros) formam o Circuito Cultural da Praça da Liberdade.

De uma forma geral, a praça é um espaço belo e agradável. É comum ver pessoas caminhando ou jovens sentados pelos bancos concentrados em suas leituras. Durante a semana, a praça costuma ficar mais frequentada aos fins de tarde. Mesmo os desinteressados por arquitetura ou museus, tenho certeza que apreciarão um passeio pelo lugar e sairão de lá com belas fotos.



Share/Bookmark
Related Posts with Thumbnails